Mesmo quem odeia já escutou. Infelizmente hoje o ritmo que usurpa o nome de Funk[1], aparece em quase todos os lugares, e causa uma histería impressionante entre as mulheres sem pudor e respeito próprio. Não obstante, o “funk” (aspas propositais) também seduziu a juventude, em especial as meninas na faixa etária de 12 a 17 anos (existem funkeiras mais novas e até crianças), são as chamadas “novinhas”, expressão que agora é a mais usada nas “letras” dos MC’s.
Em qualquer festa onde começar a tocar esse ritmo, observem as meninas mais novas dançando, aliás, se é que pode-se chamar aquilo de dança, prefiro classificar como um “Kama Sutra ritmado”. Os funkeiros costuma dizer que o estilo é sensual. Mentira! Ele já ultrapassou essa barreira, podemos chamar de sensual por exemplo o Tango, o “funk” é pornográfico e vulgar.
E, infelizmente, hoje é comum ver “as novinhas” dançando de uma forma que há algumas décadas atrás só as prostitutas faziam nos cabarés.
No entanto, mais preocupante do que meu conservadorismo que faz com que eu sinta repúdio por essa coisa que insistem em classificar como música, é a apologia a pedofilia e a erotização precoce que o “funk” traz.
Primeiramente uma pergunta precisa ser respondida: Quem são as novinhas no funk?
Não é preciso ser nenhum gênio para saber que o termo refere-se a meninas menores de idade, mas usarei alguns trechos dos “funk’s” para mostrar a face das “novinhas”.
(Atenção: A partir deste momento começarei a citar trechos de “funk”, portanto aparecerão palavras de baixo calão)
Na “música” de nome Novinha vê se me escuta[2], “cantada” pelos MC’s Deeh e Geovane é relatado a idade de uma dessas meninas no trecho que diz: 
Aos 15 de idade a novinha saia curtir baile funk,
fexava com Mc Deeh e também com Mc Geovane…
Qual o problema dessa menina de 15 anos ir a baile?
O baile em si já é o problema, mas os MC’s relatam o que acontece com ela: 
Oh novinha tu ve se me escuta
Ela desce com a xota no chão,
ela rebola e “kika” que coisa maluca
…O baile funk começa e o bixo aqui já pega,
nóis leva as novinha pro canto dá uma letrinha que ela se entrega
Quando a novinha me viu, me viu e não resistiu,
ficou toda assanhada quando me viu dançando Bufalo Bill
É esse tipo de coisa (não insistam que não chamarei de música) que tem feito sucesso entre crianças e adolescentes.
Analizemos algumas “letras” das “músicas” que dominam a cena do funk: 
Para de falar que tu é minha namorada
Que eu só te namoro na hora da cachorrada
Aquecendo com a novinha, ralando vai novinha, descendo
então vai novinha rebola e depois quica
…Na hora de fazer amor eu falo até que te amo (Aquecendo com a novinha – MC Luan) [3]
Vai novinha vai novinha
Vai novinha vai novinha
Eu vou te deixar maluca tu vai ficar suadinha
Um funk sem neurose gata bota pra cantar
O bonde dos magrinhos
Vai fazer tu delirar
Aqui é chapa quente é vara linguadinha
na xotinha na bundinha
no peitinho na boquinha (Vai novinha MC Frank)
[4]
De novinha assanhada, de novinha atraente
Vou te fazer, te fazer, te fazer chegar no orgasmo 
De novinha assanhada, de novinha atraente
Preferência de hoje em dia, as novinha experiente ( Novinha experiente MC Nobru) [5]
Mas, alguém pode reclamar que não há uma menção explícita a meninas há crianças menores de 14 anos. Calma, vamos ver mais alguns trechos de “funk”.
Abaixo relaciono um “funk” chamado “14 e 37″ do MC Dido [6], que começa da seguinte forma: 
Digão – Não quero novinha de 14, só quero mulher de 37
Não pego novinha de 14,só pego mulher de 37
Quem ver esse trecho imagina de início que finamelnte apareceu  alguém para combater todo esse absurdo. Mas não se deixem enganar, na verdade a “música” é composta por um diálogo entre “Dido” e “Digão”.
O “Dido” continua gostando das “novinhas de 14″:
Dido – Senta senta senta senta senta senta vem novinha
Senta senta senta senta abra a xerequinha
Mas escuta mano Digão você tá de palhaçada
Tá trocando as novinha pras velha de bunda fraca
Sem neurose eu dou-lhe o papo sou Dido canto e não minto
Não esqueça das novinha, esquece as velhas de peito caido
Olha eu vou te dar o papo, o Digão ve se me escuta ve se larga
Essas velhas, velha da perereca murcha, mas eu vou te dar o papo
Tranquilão não faço pose, que se dane as de 37 eu prefiro as de 14
Como mostra o “diálogo” do “funk”, o Digão cansou de tudo isso. Ele não se envolve mais com meninas de 14 anos. Veja o motivo apresentado para essa mudança de comportamento: 
Digão – Oh Dido te dou lhe o papo tu vai passar o reflexo
As novinha tem palhaçada muita neurose pra pouco sexo
Se liga nessa parada neguinho eu to na boa as mule sao
Chapa quente panela velha é que faz comida boa, sem neurose
Ou seja, ele não se envolve com “as novinhas” porque estas tem “muita neurose”, para “pouco sexo”. Outro M’C tira todas as dúvidas (se é que existiam dúvidas) de quem são “as novinhas” do funk. No funk de nome revelador “novinha safada”, o M’C Kelvin revela que são os alvos dos funkeiros: 
Vem novinha safada
pra mim vem fazer pose
nois dois é de menor
não tem artigo 214
[7]
Sabe aquela história de que só profissionais da área jurídica e bandidos conhecem os artigos do código penal? Como não sou de nenhum dos dois tipos, pesquisei o que era o tal artigo 214. O Art 214 era o artigo que caracterizava o atentado violento ao pudor, e foi revogado em 7 de agosto de 2009 pela Lei nº 12.015/09, que alterou a disciplina dos crimes sexuais no direito penal brasileiro, e ampliou a abrangência do crime de estupro, de modo a abranger o antigo crime de AVP (atentado violento ao pudor)[8]. Ou seja, são “novinhas” menores da 14 anos, que para ele “não dá nada” por também ser menor.
Não preciso citar mais nenhuma dessas porcarias chamadas de músicas, para que todos compreendam onde quero chegar: A apologia ao sexo precoce e a pedofilia.
Alguém argumentará que as “músicas” não fazem menção as menores de 14 anos. Para esses ainda “céticos”, não recomendo, mas se quiserem façam uma pesquisa no google casando as expressões “funk” e “novinha”. Ressalto, que não recomendo, pois haverá material pedófilo.
O fato é que essa erotização de crianças e adolescentes ainda em formação trazem consequências gravíssimas.
A psicóloga Aline Maciel, afirma que músicas de cunho apelativo com letras que tratem de sexo estimulam a iniciação sexual precoce entre meninos e meninas. Segundo ela, “músicas com uma carga sexual muito forte aliadas a coreografias sensuais fazem com que as crianças tenham acesso a elementos que não são adequados a sua faixa etária, induzindo comportamentos inadequados[9]”.
O acesso precoce a esse tipo de produto cultural faz com que a criança deixe de vivenciar a infância e aquilo que é próprio da fase, que é o brincar. Com a banalização do sexo, a percepção da criança é alterada. “A criança começa lidar com a sexualização do corpo sem o devido entendimento de como isso deve ser tratado”, explica Aline Maciel. “A criança sofre uma pressão da sociedade, antecipando todo o seu processo sexual e vivendo a sua sexualidade sem inteireza e maturidade”, opina Aline Maciel. Para ela, as crianças se tornam erotizadas e em especial as meninas, que passam a ver o corpo como entidade de prazer, consumo e status social[9].
Um estudo da Associação Americana de Psicologia [11], concluiu que a erotização precoce afeta o desenvolvimento das meninas causando desde distúrbios alimentares e a um mau desempenho escolar.
O pior é que existem pais que não importam-se com isso, mães que cresceram sendo princesas, não se incomodam com suas filhas que crescem como “cachorras”, meninas que para os homens servem apenas para o sexo e nada mais. Ou alguém acha que possui algum respeito uma menina que se diverte cantando “Quero te da da da da[10]“?
Platão dizia que a música imita o movimento da alma, tendo isso em mente temos a certeza que o “funk” é o pleno reflexo de uma sociedade falida e sem qualquer respeito.
Jefferson Nóbrega
Referências:
[1] O que hoje é conhecido como funk na verdade não passa de uma variação grosseira do “Miami bass sound“, que fez a fama de grupos picaretas como o 2 Live Crew. O verdadeiro funk possui nomes como James Brown, Funkadelic, Sly & Faily Stone e outros. Veja mais sobre o assunto: http://www.tudoaqui.logvelox.com/2009/03/20/para-gostar-do-verdadeiro-funk/
[2]http://letras.terra.com.br/mc-deeh-mc-geovane/1751815/?domain_redirect=_es
[3]http://letras.terra.com.br/mc-luan/1668221/
[4]http://letras.terra.com.br/mc-frank/747782/
[5]http://letras.azmusica.com.br/M/letras_mc_nobruh_104437/letras_otras_77212/letra_novinha_experiente_1596811.html
[6]http://letras.terra.com.br/mc-dido/1044547/
[7]http://www.vagalume.com.br/mc-kelvin/novinha-safada.html
[8]http://pt.wikipedia.org/wiki/Atentado_violento_ao_pudor
[9]http://blog.opovo.com.br/propares/erotizacao-da-musica-influi-na-precocidade-sexual-da-crianca/
[10]http://www.vagalume.com.br/gaiola-das-popozudas/quero-dar-dar-dar.html
[11]http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1426449-EI1827,00.html

 

About these ads